24 outubro 2017
Quando me mudei pra São Paulo passei por uma dolorosa separação, não só da minha família, mas do meu gatinho Nego, que adotei quando ele tinha apenas 2 meses, em 2015.

A minha grande questão era a possibilidade da mudança causar algum sofrimento pra ele, que é um gato acostumado a sair pro quintal e ter muitas pessoas por perto. Em São Paulo eu moro em um apartamento que tem barulho de carro o dia todo e não tem nem varanda. Contrário do sossego e ar livre que ele sempre teve no Rio.

Decidi arriscar e ver se ele vai se adaptar ao ambiente e com a irmã Muelxa (que adotei em SP), que está sem companhia desde que a Salma virou uma estrelinha.

Como viajo com frequência pela Gol na ponte aérea Rio-SP, decidi trazê-lo do Rio para São Paulo de avião. Se houvesse a chance dele se estressar numa viagem, pelo menos de avião isso seria muito mais rápido do que em uma viagem de ônibus no trecho, que dura 6 horas em condições normais de trânsito.

E deu tudo certo com a nossa viagem! Meu gato, como sempre, foi muito bonzinho, precisou apenas de atenção pra saber que eu estava ali com ele o tempo todo. Se você precisa viajar com um gato, acredito que viajar de avião é a melhor opção. Apesar do valor, o tempo de estresse, por estar em um lugar estranho, é menor. E sabemos que estresse é um fator de risco pra diversas doenças nos gatos.

Então fica a dica! Se o bichinho precisa viajar, vamos tentar fazer com que isso seja o mais tranquilo possível pra ele.

Nego na bolsa de viagem e os furos na tela que ele conseguiu abrir

Minha experiência 

Abaixo conto como foi minha experiência e no final deste post listo as informações completas pra realizar a viagem com o Pet, incluindo infos que não estão no site da cia e que foram passadas pelo telefone do SAC da GOL (são importantes).

Reserva e pagamento da taxa do pet

Comprei minhas passagens com antecedência. Liguei pra Gol pra solicitar o embarque do meu gato, e isso deve ser feito com antecedência pois é permitido somente 4 pet por vôo. Por telefone no SAC da GOL, a atendente pediu meu localizador e como havia reservar de 2 trechos perguntou em qual(ou quais) ele iria ser transportado. No meu caso, eu fui pro Rio buscá-lo então eu só iria transportar no vôo da volta. A atendente fez algumas perguntas como: peso, idade, raça, cor da pelagem e fez a reserva. Avisou que eu só conseguiria embarcar no primeiro vôo (pro Rio) se pagasse a taxa do gato: R$200,00 (quase o mesmo preço dos meus vôos de ida e volta juntos, aff! 😫). Ah, peguei uma poltrona bem lá no fundo, caso ele ficasse miando eu queria evitar causa incômodos aos outros passageiros.


No dia de ir pro Rio não consegui fazer check-in, a mensagem era pra comparecer ao balcão. Lá eu paguei a taxa de R$200,00, que pode ser parcelada em até 6x sem juros. Lembre de confirmar qual o trecho seu pet viajará, porque essa taxa é por trecho.

Check-up pré-viagem

Já no Rio, o levei ao veterinário pra um último check-up, aparar as unhas e pra última dose da V5. Seguindo a orientação da Gol, perguntei pra veterinária se essa vacina poderia causar alguma reação nele durante a viagem e a resposta foi negativa, podia ir traquilo e sussa!

Hora de viajar

Na volta para São Paulo com o Nego, ele ficou bastante agitado dentro da bolsa de transporte. No caminho pro aeroporto, no carro, tirei ele um pouco da bolsa. A agitação nada mais era do que a curiosidade do gato, ele queria ficar olhando o mundo que ele nunca tinha visto. Deixei a coleira peitoral nele, caso precisasse abrir a bolsa, seria mais seguro caso ele se assustasse e tentasse fugir. As unhas dele também foram aparadas pensando nessa possibilidade dele se assustar e me deixar faltando uns pedaços (quem tem gato sabe como é essa coisa de se assustar!!!).

PS. Cuidado com as caixas flexíveis por causa da tela pra respiração do gato. Meu gato agitado querendo olhar tudo do lado de fora abriu uns furinhos. Certifique-se da resistência dessas telas.

A Gol pede que chegue com o pet com 2 horas de antecedência (Gol, favor rever isso! Gostaria que a cia entendesse que isso pode ser estressante pros bichinhos, um local barulhento e com muita gente estranha pra eles). Por causa da chuva que caía no dia, cheguei 1 hora e meia antes do meu vôo mas não me questionaram 👀.

No balcão da gol eu fiz check-in, despachei a mala e lá me foi pedido a carteira de vacinação do Nego e o atestado sanitário. O atendente pediu pra ver a bolsa que ele estava pra verificar se tinha ventilação. Ele olhou minha reserva, falei que o transporte do pet já estava pago, ele perguntou se essa reserva do pet não era pro meu vôo anterior (congelei de pavor achando que mesmo eu confirmado 2x com a gol o dia que transportaria, tinham colocado a data errada). Não me mate do coração, moço, porque me custou 200 reais! Com a minha negativa e mais checagens no computador, ele me deu um formulário pra preencher com os meus dados e dados do animal. Esse papel deveria ser entregue pro comissário de bordo assim que entrasse na cabine.

Raio-x de aeroporto, saguão de embarque e embarque

No raio x, pedem que eu tire o gato da bolsa. A bolsa passa no raio-x e eu e o gato passamos juntos no detector de metais, somente afastando o gato a frente do meu corpo (esticando os braços).

Fui pra um lado do saguão de espera com menos gente possível e o Nego ficou ali bem tranquilão deitado na sua bolsa. Embarcamos e na entrada do avião entreguei o formulário, a comissária perguntou se eu sabia as regras ou se tinha alguma dúvida e falou que já me levaria a minha via do formulário (ela me devolveu durante o vôo).

Dentro do avião

O barulho de turbinas e motores deve ser algo que incomoda muito um gato, tentei ficar fazendo carinho nele por fora da tela pra distraí-lo, já que é proibido abrir a caixa de transporte dentro do avião. Coloquei ele nos meus pés, abaixo da poltrona da frente e ele se acomodou muito bem. Somente minha mãe estava na poltrona ao lado, foi um vôo bem vazio, numa segunda-feira. Durante o vôo ele deu apenas UM miadinho quando perguntei se estava tudo bem com ele (ele respondeu que sim 😅). Coloquei meu casaco por cima da tela, deixando uma brecha, porque dentro do avião estava muito frio (e ele é friorento!!!).

A viagem foi muito tranquila, não houve estresse nem pra ele e nem pra mim. Mas por R$200,00 o trecho, bem que a GOL podia servir um petisco pros nossos bichinhos também, né?! 😂

Veja o vídeo que eu fiz:



Informações pra viajar com pet na cabine 

Verifiquei as condições da Gol para viajar na cabine junto com os passageiros, que são:

O Pet

  • Somente gatos ou cachorros podem ser transportados na cabine;
  • Ele deve ter menos de 10kg (contando com o peso da caixa de transporte);
  • Deve ser ter sido vacinado contra a raiva há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data da viagem;
  • Idade mínima de 04 meses

Documentos

  • Carteira de vacinas constando principalmente a antirrábica com data e lote;
  • Atestado sanitário fornecido pelo veterinário emitido no máximo há 10 dias da data da viagem;

Transporte

  • Peso máximo do pet + caixa de transporte não pode ultrapassar 10kg, se não ele deverá viajar no porão do avião;
  • A caixa de transporte pode ser rídiga ou flexível (aquelas bolsas para pets);
  • As dimensões máximas da caixa devem ser  24cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura para caixas flexíveis. Ou 22cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura para caixas rígidas;
  • Ambos os tipos de caixa devem obviamente ter passagem de ar pros bichinhos;
  • A caixa deve ser identificada com os dados do passageiro;
  • Durante o vôo a caixa deve ficar fechada e acomodada abaixo da poltrona na sua frente.

A solicitação do embarque do pet na cabine

  • Areserva de pet deve ser solicitada via SAC da GOL com antecedência (lembrando que há limite de 4 pets por vôo e vale a ordem que foi reservado);
  • A reserva fica no mesmo localizador da sua passagem

Outras informações importantes dadas no SAC por telefone 

  • A vacina antirrábica obrigatória NÃO PODE ser de campanha. Não entendi muito bem e nem sei se a informação procede, mas a atendente do SAC disse que há diferença na composição, MAS pelo que sei isso é mais por causa da data e lote da vacina e não por composição. Eu não tinha essa informação na hora pra questionar, mas preferi não arriscar e não esperei a campanha anual (que estava próxima), paguei pela vacina no veterinário.
  • A antirrábica não pode ter sido aplicada com menos de 30 dias de antecedência da viagem (por causa do período de incubação).
  • Outras vacinas podem ser aplicadas normalmente, seguindo orientação do veterinário pra saber se não pode causar alguma reaçao durante a viagem.

Pra finalizar:

Busque informações diretamente com a cia aérea antes de viajar e não deixe de passar no veterinário.
Boa viagem 😽

Nego se acostumando com a ideia de ser gato de apartamento...




Au revoir tout le monde!
Não sei como e por quê você chegou até aqui, mas espero que volte sempre.
Comente com o Facebook:

2 comentários:

Jessica disse...

quanto custa a antirrábica, miga? não dei na charlotte até hoje

Custou R$45,00, é uma das mais baratas

Postar um comentário

Quem sou eu?

Prazer, Marcelle.

Olá, eu sou a Marcelle. Carioca, jornalista, casada e mãe de três gatinhos vira-latas adotados. Leitora e fã do combo sofá + TV (ou poltrona e telão). Moro em São Paulo, sinto frio aos 23ºC e trabalho com produto digital.

Aqui é um lugar para meus textões mesmo #peace

Minhas redes sociais

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *