24 outubro 2017
Quando me mudei pra São Paulo passei por uma dolorosa separação, não só da minha família, mas do meu gatinho Nego, que adotei quando ele tinha apenas 2 meses, em 2015.

A minha grande questão era a possibilidade da mudança causar algum sofrimento pra ele, que é um gato acostumado a sair pro quintal e ter muitas pessoas por perto. Em São Paulo eu moro em um apartamento que tem barulho de carro o dia todo e não tem nem varanda. Contrário do sossego e ar livre que ele sempre teve no Rio.

Decidi arriscar e ver se ele vai se adaptar ao ambiente e com a irmã Muelxa (que adotei em SP), que está sem companhia desde que a Salma virou uma estrelinha.

Como viajo com frequência pela Gol na ponte aérea Rio-SP, decidi trazê-lo do Rio para São Paulo de avião. Se houvesse a chance dele se estressar numa viagem, pelo menos de avião isso seria muito mais rápido do que em uma viagem de ônibus no trecho, que dura 6 horas em condições normais de trânsito.

E deu tudo certo com a nossa viagem! Meu gato, como sempre, foi muito bonzinho, precisou apenas de atenção pra saber que eu estava ali com ele o tempo todo. Se você precisa viajar com um gato, acredito que viajar de avião é a melhor opção. Apesar do valor, o tempo de estresse, por estar em um lugar estranho, é menor. E sabemos que estresse é um fator de risco pra diversas doenças nos gatos.

Então fica a dica! Se o bichinho precisa viajar, vamos tentar fazer com que isso seja o mais tranquilo possível pra ele.

Nego na bolsa de viagem e os furos na tela que ele conseguiu abrir

Minha experiência 

Abaixo conto como foi minha experiência e no final deste post listo as informações completas pra realizar a viagem com o Pet, incluindo infos que não estão no site da cia e que foram passadas pelo telefone do SAC da GOL (são importantes).

Reserva e pagamento da taxa do pet

Comprei minhas passagens com antecedência. Liguei pra Gol pra solicitar o embarque do meu gato, e isso deve ser feito com antecedência pois é permitido somente 4 pet por vôo. Por telefone no SAC da GOL, a atendente pediu meu localizador e como havia reservar de 2 trechos perguntou em qual(ou quais) ele iria ser transportado. No meu caso, eu fui pro Rio buscá-lo então eu só iria transportar no vôo da volta. A atendente fez algumas perguntas como: peso, idade, raça, cor da pelagem e fez a reserva. Avisou que eu só conseguiria embarcar no primeiro vôo (pro Rio) se pagasse a taxa do gato: R$200,00 (quase o mesmo preço dos meus vôos de ida e volta juntos, aff! 😫). Ah, peguei uma poltrona bem lá no fundo, caso ele ficasse miando eu queria evitar causa incômodos aos outros passageiros.


No dia de ir pro Rio não consegui fazer check-in, a mensagem era pra comparecer ao balcão. Lá eu paguei a taxa de R$200,00, que pode ser parcelada em até 6x sem juros. Lembre de confirmar qual o trecho seu pet viajará, porque essa taxa é por trecho.

Check-up pré-viagem

Já no Rio, o levei ao veterinário pra um último check-up, aparar as unhas e pra última dose da V5. Seguindo a orientação da Gol, perguntei pra veterinária se essa vacina poderia causar alguma reação nele durante a viagem e a resposta foi negativa, podia ir traquilo e sussa!

Hora de viajar

Na volta para São Paulo com o Nego, ele ficou bastante agitado dentro da bolsa de transporte. No caminho pro aeroporto, no carro, tirei ele um pouco da bolsa. A agitação nada mais era do que a curiosidade do gato, ele queria ficar olhando o mundo que ele nunca tinha visto. Deixei a coleira peitoral nele, caso precisasse abrir a bolsa, seria mais seguro caso ele se assustasse e tentasse fugir. As unhas dele também foram aparadas pensando nessa possibilidade dele se assustar e me deixar faltando uns pedaços (quem tem gato sabe como é essa coisa de se assustar!!!).

PS. Cuidado com as caixas flexíveis por causa da tela pra respiração do gato. Meu gato agitado querendo olhar tudo do lado de fora abriu uns furinhos. Certifique-se da resistência dessas telas.

A Gol pede que chegue com o pet com 2 horas de antecedência (Gol, favor rever isso! Gostaria que a cia entendesse que isso pode ser estressante pros bichinhos, um local barulhento e com muita gente estranha pra eles). Por causa da chuva que caía no dia, cheguei 1 hora e meia antes do meu vôo mas não me questionaram 👀.

No balcão da gol eu fiz check-in, despachei a mala e lá me foi pedido a carteira de vacinação do Nego e o atestado sanitário. O atendente pediu pra ver a bolsa que ele estava pra verificar se tinha ventilação. Ele olhou minha reserva, falei que o transporte do pet já estava pago, ele perguntou se essa reserva do pet não era pro meu vôo anterior (congelei de pavor achando que mesmo eu confirmado 2x com a gol o dia que transportaria, tinham colocado a data errada). Não me mate do coração, moço, porque me custou 200 reais! Com a minha negativa e mais checagens no computador, ele me deu um formulário pra preencher com os meus dados e dados do animal. Esse papel deveria ser entregue pro comissário de bordo assim que entrasse na cabine.

Raio-x de aeroporto, saguão de embarque e embarque

No raio x, pedem que eu tire o gato da bolsa. A bolsa passa no raio-x e eu e o gato passamos juntos no detector de metais, somente afastando o gato a frente do meu corpo (esticando os braços).

Fui pra um lado do saguão de espera com menos gente possível e o Nego ficou ali bem tranquilão deitado na sua bolsa. Embarcamos e na entrada do avião entreguei o formulário, a comissária perguntou se eu sabia as regras ou se tinha alguma dúvida e falou que já me levaria a minha via do formulário (ela me devolveu durante o vôo).

Dentro do avião

O barulho de turbinas e motores deve ser algo que incomoda muito um gato, tentei ficar fazendo carinho nele por fora da tela pra distraí-lo, já que é proibido abrir a caixa de transporte dentro do avião. Coloquei ele nos meus pés, abaixo da poltrona da frente e ele se acomodou muito bem. Somente minha mãe estava na poltrona ao lado, foi um vôo bem vazio, numa segunda-feira. Durante o vôo ele deu apenas UM miadinho quando perguntei se estava tudo bem com ele (ele respondeu que sim 😅). Coloquei meu casaco por cima da tela, deixando uma brecha, porque dentro do avião estava muito frio (e ele é friorento!!!).

A viagem foi muito tranquila, não houve estresse nem pra ele e nem pra mim. Mas por R$200,00 o trecho, bem que a GOL podia servir um petisco pros nossos bichinhos também, né?! 😂

Veja o vídeo que eu fiz:



Informações pra viajar com pet na cabine 

Verifiquei as condições da Gol para viajar na cabine junto com os passageiros, que são:

O Pet

  • Somente gatos ou cachorros podem ser transportados na cabine;
  • Ele deve ter menos de 10kg (contando com o peso da caixa de transporte);
  • Deve ser ter sido vacinado contra a raiva há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data da viagem;
  • Idade mínima de 04 meses

Documentos

  • Carteira de vacinas constando principalmente a antirrábica com data e lote;
  • Atestado sanitário fornecido pelo veterinário emitido no máximo há 10 dias da data da viagem;

Transporte

  • Peso máximo do pet + caixa de transporte não pode ultrapassar 10kg, se não ele deverá viajar no porão do avião;
  • A caixa de transporte pode ser rídiga ou flexível (aquelas bolsas para pets);
  • As dimensões máximas da caixa devem ser  24cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura para caixas flexíveis. Ou 22cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura para caixas rígidas;
  • Ambos os tipos de caixa devem obviamente ter passagem de ar pros bichinhos;
  • A caixa deve ser identificada com os dados do passageiro;
  • Durante o vôo a caixa deve ficar fechada e acomodada abaixo da poltrona na sua frente.

A solicitação do embarque do pet na cabine

  • Areserva de pet deve ser solicitada via SAC da GOL com antecedência (lembrando que há limite de 4 pets por vôo e vale a ordem que foi reservado);
  • A reserva fica no mesmo localizador da sua passagem

Outras informações importantes dadas no SAC por telefone 

  • A vacina antirrábica obrigatória NÃO PODE ser de campanha. Não entendi muito bem e nem sei se a informação procede, mas a atendente do SAC disse que há diferença na composição, MAS pelo que sei isso é mais por causa da data e lote da vacina e não por composição. Eu não tinha essa informação na hora pra questionar, mas preferi não arriscar e não esperei a campanha anual (que estava próxima), paguei pela vacina no veterinário.
  • A antirrábica não pode ter sido aplicada com menos de 30 dias de antecedência da viagem (por causa do período de incubação).
  • Outras vacinas podem ser aplicadas normalmente, seguindo orientação do veterinário pra saber se não pode causar alguma reaçao durante a viagem.

Pra finalizar:

Busque informações diretamente com a cia aérea antes de viajar e não deixe de passar no veterinário.
Boa viagem 😽

Nego se acostumando com a ideia de ser gato de apartamento...




19 setembro 2017

Apesar de já ter tudo planejado, na cabeça e no papel, para minha viagem acontecer não dependia apenas do dinheiro que eu venho juntando e das etapas do cronograma que estou seguindo à risca. Para pisar nos Estados Unidos, primeiramente eu precisaria do visto americano.

Essa parte era a que mais me deixava tensa. Apesar de eu não representar nenhum risco aos Estados Unidos fiquei com muito medo de ter meu sonho interrompido com uma negativa, isso deve ser devastador. [Cruz credo, bate na madeira 3x]

A gente tem mil caraminholas na cabeça, ouve falar que “às vezes é loteria”, sua aprovação ou não “depende do humor do consul”, se “ficar nervoso ou gaguejar na entrevista é algo ruim”. Mas será que é isso mesmo? Um trabalho sério desse poderia ser resumido a "ir com a sua cara ou não" e não levar em conta todos os dados que você forneceu?

Se você também acredita em pensamento e energia positiva, precisa aprender a evitar ficar com essas coisas na cabeça. É difícil, eu sei bem, fiquei nervosa até no dia de tirar foto e colher as digitais. Tive dor de barriga no dia da entrevista (precisava dividir essa informação), mas consegui focar meus pensamentos em coisas boas (na viagem!) até o último momento.

E claaaro, supersticiosa como sou, não me custou nada evitar passar por baixo de escadas e evitar pisar em linhas no dia da minha entrevista. Meu número da sorte é 7 e acredito no poder da minha matemática.

E tudo deu certo! Estou com meu visto válido por 10 anos, cronograma segue em dia.

Abaixo conto tudo como foi.

👉 #AlertaTextão 

Os tópicos deste post se quiser pular os assuntos: 
  1. Quais as etapas para tirar o visto americano
  2. Preenchimento do formulário DS-160 para visto B1/B2 (Business/Tourism)
  3. Diferenças entre formulários marido x esposa
  4. O que é necessário para agendar CASV e entrevista
  5. Onde / como agendar e pagamento da taxa
  6. Como foi no CASV
  7. Como são os procedimentos no Consulado
  8. Como foi a entrevista
  9. Quais documentos eu levei
  10. Entrega do passaporte com o visto


1) O processo para conseguir o visto americano possui 3 etapas:

  1. Preenchimento do formulário DS-160 
  2. Ir ao  Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV) para coletar dados biométricos (foto e digitais)
  3. Ir à entrevista no consulado da sua cidade (ou a mais próxima)


2) Preenchimento do formulário DS-160


Depois de pegar meu passaporte novo, meu marido e eu já fomos dar entrada no visto B1/B2 (Business/Tourism) preenchendo o formulário DS-160.

Há muitos tutoriais em sites e no YouTube que te mostram como preencher o formulário. Mas não tem muito segredo.

A dica é simples: preencha tudo honestamente. O consul basicamente te pergunta o que você já respondeu no formulário. ✌

3) Diferenças no formulário marido x esposa?


Uma coisa que observei de diferente e não achei nenhum site mencionando isso, é que houve diferença de seções a serem preenchidas entre o formulário do meu marido e do meu.

Ele preencheu o formulário dele primeiro. Quando fui preencher o meu, notei que não apareceu a seção sobre emprego anterior e formação. Na hora, achei que eu havia pulado sem querer, voltei todas as etapas e não tinha o que fazer.

Nas pesquisas que fiz, vi alguns casais questionando a mesma coisa, ninguém dando respostas quanto isso. Perguntei alguns amigos que já fizeram o processo e também passaram pela mesma situação. Concluí que não era de fato um problema técnico, nem preenchimento incorreto. Não tinha muito o que fazer além de seguir em frente.

Isso não é uma informação oficial, mas pela minha experiência e de outras pessoas, acredito que é comum quando preenchido em casal, o homem/marido ter um formulário mais “completo” nesse caso. Talvez os formulário fiquem vinculados por causa dos dados que temos que colocar sobre marido/esposa. Não sei dizer se isso é diferente para solteiras ou para as mulheres casadas que vão viajar sozinhas. Isso é apenas para constar que aconteceu (acontece), e não acarretou em problema.

Essa é a confirmation, que você vai usar nas etapas da solicitação do visto

4) O que é necessário para agendar CASV e entrevista


Ao finalizar o formulário é gerado uma confirmação de solicitação de visto (Confirmation) e todo o seu processo depende dessa confirmação, que te gera um número da confirmação e um código de barras que serão requisitados depois.

P.S. A confirmação NÃO é a mesma coisa que a cópia do formulário preenchido (Application), você não vai precisar da cópia do formulário para nada, inclusive vem escrito que não é necessário imprimir e/ou levar contigo no restante do processo. Pense nas árvores, não gaste papel com isso.

A confirmação sim, precisa ser impressa e levada contigo no CASV e no consulado, para a entrevista.

E por último mas não menos importante... pagar a taxa de (aiii!U$160,00.

5) Onde / como agendar e pagamento


Com os números das confirmações (minha e do meu marido) fomos agendar o visto no site https://ais.usvisa-info.com/pt-BR/niv.

Você precisará criar uma conta. No meu caso, só o meu marido criou e me incluiu. Pelo que vi, pode adicionar/incluir/agendar várias pessoas.

Depois de criar sua conta, você precisará pagar a taxa de U$160,00 para prosseguir e agendar a(s) data(s). Você só consegue agendar quando o pagamento é confirmado.

O pagamento pode ser feito com cartão de crédito internacional e já é confirmado na hora, já convertido para Reais (o valor vai depender da cotação do Dólar no dia). Com isso já é possível prosseguir para a escolha de local e data na hora. Nós dois juntos pagamos R$1024,00. E não, não parcela. 😔

Também há a opção de pagamento por boleto bancário, que deverá ser compensado para que você consiga continuar o agendamento (geralmente demora entre 24h ou 48h para compensar).

Pagamos no cartão e  já conseguimos agendar a ida ao CASV e entrevista, não tinha data disponível para fazer os dois procedimentos no mesmo dia. Isso não era é um problema, já que a gente mora em São Paulo.

Fizemos tudo isso no dia 20 de agosto, o CASV foi agendado para terça-feira dia 22 e entrevista na sexta-feira dia 25/08.

[25 = 2 + 5 = 7, juro que tentei achar que sou só maluca]

Dica de abiguinha: Cartão é a melhor opção para gente ansiosa, como eu.
Já junta uma graninha exclusivamente para isso e na hora de pagar a fatura do cartão o mini-infarto é mais suave.

6) Como foi no CASV


Agendei a ida ao CASV em Vila Mariana, São Paulo, para colher os dados biométricos às 13h. Não há necessidade de chegar mais cedo, eles atendem no horário. Chegamos 10 minutos antes e não havia fila.

Um funcionário na calçada já pede para ver a Confirmação do DS-160 (Confirmation) e o passaporte. É só isso que você precisa levar.

Pede para desligar os celulares (nesse dia é permitido entrar com suas coisas após revista) e passar pela “revista” (detector de metais).

Lá dentro é bem rápido. Um outro funcionário perguntou se estávamos juntos nos encaminhou para um guichê onde entregamos a Confirmação e o passaporte de cada um. Ele colou um adesivo com nome, número da solicitação e código de barras atrás de cada passaporte. Nesse guichê também confirmam nossos e-mails e nos mandam para outro guichê. Nesse outro, tiramos a foto e colhemos as digitais.

Apenas isso. Tudo em uns 10 minutos, no máximo.

7) Como são os procedimentos no Consulado


Gente, essa parte é muito textão mesmo, e resumindo se não quiser ler tudo: filas.

Na sexta-feira, dia 25 de agosto, fui fazer a entrevista no Consulado Geral, agendada para às 11h40. No consulado não é permitido entrar com celular, pendrive e outros aparelhos eletrônicos. É bom evitar bolsas grandes e é indicado levar os documentos em uma pasta. Também não precisa chegar muito antes do seu horário.

Rezando 24h por dia (porque tinha medo dessa etapa), e medrosa como sou, chamamos um táxi 2 horas antes, e o taxista que nos buscou em casa se chamava Orlando (!!!). Um simpático senhor que mentalmente apelidei de “Resposta Divina”. 😂

Na rua do consulado há diversas casas e lojas com guarda-volumes. Paguei R$20,00 para guardar duas mochilas, no mesmo locker, por tempo ilimitado. Alguns lugares cobram R$15,00 por cada meia hora.

Na entrada, sem nenhuma fila (única exceção do dia), um funcionário já pede passaporte e confirmação em mãos, ela conferiu rápido. Ao entrar você já vai em uma mesa onde é lido o código de barras e confirmam as pessoas agendadas juntas. Outro funcionário te indica a fila para ir até um balcão (tinha bastante gente em filas nessa parte, mas eu passei direto para o balcão porque não tinha ninguém na minha frente na fileira que ele indicou).

No balcão perguntaram se estávamos juntos, pediram as confirmações e passaportes, conferiram e colocaram os dois passaportes juntos presos com um elástico. Te mandam para fila de segurança/detector de metais.

Na fila de segurança um funcionário entrega uma caixa para colocar cintos, relógios, lenços, óculos (igual no aeroporto). Entram em fila de 5 em 5 em uma sala para passar no detector e pegar as coisas que passam pelo scan/raio-x e você já sai da sala para parte externa, onde tem que seguir até achar… (advinhe!) outra fila para... outra fila.

Essa fila é externa porém com bancos e cobertura, entre plantinhas e árvores (por um momento me senti em casa). Em uns 5 minutos um funcionário chamou um lado da fila. Em mais uns 5 chamou meu lado da fila. Lá, eles maaaaais uma vez pegam a confirmação e os passaportes, e passam o código de barras do adesivo dos passaportes no leitor, falam que podemos guardar a confirmação e ficar só com os passaportes. E nos mandam para a fila da fila da entrevista (isso mesmo, fila para fila) que estava bem cheia, umas 5 ou 6 voltas. Demorou, acredito, que uns 25 minutos mais ou menos.


Essa fila de 5 ou 6 voltas fica bem na frente dos guichês onde são feitas as entrevistas. E cada guichê fica com uma fila. E sim, você vê e ouve a entrevista de todo mundo enquanto está nas duas filas. Eu tentei não ouvir porque ia ficar nervosa, mas acabei ouvindo algumas porque o Fernando não conversava comigo e me restava ouvir conversa alheia.

**Tópico extra: ouvindo a entrevista alheia**

Percebi que cada consul fazia perguntas sobre a vida das pessoas no Brasil. Alguns faziam muitas perguntas, até mesmo sobre tema do TCC, ou como tal pessoa tinha conseguido abrir uma empresa etc. Algumas pessoas davam explicações demais… até quando não era perguntado nada.

ANYWAY...

Não fiquei nervosa, estava ansiosa que chegasse nossa vez logo.

No final da fila de 5 ou 6 voltas, um funcionário nos indicou o guichê nº 14.
14 dividido por 2 = 7 = meu número da sorte kkkkkk. Só podia ser Deus testando minha matemática das superstições 😂


8) Como foi a entrevista no Consulado


Finalmente fomos para a fila do guichê 14. Duas pessoas foram entrevistadas na nossa frente.

Enquanto estava nessa fila, fiquei sorrindo para o nada, fazendo cara de simpática...  nessa hora começa a bater aquele siricutico que te faz imaginar coisas idiotas como "nessa hora já deve ter câmeras e agentes secretos me observando e me avaliando".

Por fim, um cônsul jovem e educado, nos chamou até o guichê.

[P.S. estou tratando como "cônsul", não sei se o certo é agente consular, mas na tela da última fila dizia "entregue os passaporte para o cônsul etc"]

(M = eu-Marcelle; F = Fernando)

Cônsul: Bom dia!
M: Bom dia!
F: Bom dia!
*passei os passaportes pela abertura do vidro*
Cônsul: obrigado
*começa a digitar coisas*
Cônsul: Primeira vez nos Estados Unidos?
M: Sim
Cônsul: Vocês já viajaram para fora do Brasil?
M: sim, para Buenos Aires, em 2013.
Cônsul: certo *digita coisas*
Cônsul: Quanto tempo pretendem ficar nos EUA? 
M: 15 dias
Cônsul: Marcelle, o que você faz? 
M: Sou jornalista, trabalho no lugar x, responsável por z, na assessoria de comunicação.
Cônsul: Ah sim, OK **digita digita digita**
Cônsul: Fernando, o que você faz? 
F: Sou engenheiro de software na empresa X, formado em engenharia da computação
Cônsul: Há quanto tempo?
F: X anos nessa função e os outros anos como desenvolvedor
Cônsul: Quanto você ganha? 
F: Ganho x
Cônsul: Certo
**digita digita digita**
Cônsul: São casados?
M: Sim
Cônsul: Qual o propósito da viagem?
M: Turismo
Cônsul: Orlando? *com um sorrisinho*
M: Sim
**digita digita digita**

[ Ele prendeu nossos passaportes de volta no elástico e colocou numa caixa - Fernando disse que fazem isso com os aprovados, eu não sabia disso nesse dia]

Cônsul: Fernando, coloque sua mão direita no leitor, por favor

[Piripaque 1: Como eu havia lido que pedir as digitais era um sinal de aprovação do visto, comecei a imaginar que só o do Fernando tinha sido aprovado]

[Piripaque 2: Poucas perguntas foram feitas só para mim, até então o consul tinha seguido o "ladies first", ele pede só as digitais do Fernando, meu coração estava começando a parar de bater]

Cônsul: Marcelle, coloque sua mão esquerda no leitor, por favor

[Claro que mantive a pose do sorriso simpático, mas por dentro estava explodindo de alegria]

Cônsul: Os vistos de vocês foram aprovados! Aqui está um papel que explica sobre a entrega dos seus passaportes, OK?
M: OK! Isso é tudo?
Cônsul: Sim! 
M e F: Obrigada/obrigado, boa tarde.
Cônsul: Obrigado! 

Não pediu nenhum documento.


IMPORTANTE: 

Resumidamente ele perguntou APENAS o que já tinha sido questionado e respondido no formulário. E nós respondemos exatamente o que respondemos no formulário.

Acredito que se a pessoa não mente no preenchimento, não tem como responder coisa diferente para o cônsul, né? Coisas divergentes provavelmente chamam a atenção e desconfiança deles.

Soa até bizarro falar isso, mas: não minta no formulário, não minta na entrevista, ou vocês acham que eles não investigam as coisas?

Engana-se quem acha que eles não “investigam” os dados que nós fornecemos. 

Estamos lidando com o país que tem o FBI, o CSI, o Jack Bauer, né queridinhos.

Um dia antes da entrevista, o Fernando recebeu um e-mail com um alerta que alguém tinha consultado  o CPF dele no SPC/Serasa. Não havíamos solicitado nada com nenhuma empresa para que isso acontecesse, então acreditamos que tenha sido por eles.

Como eu trabalho para o Governo e forneci dados, eles provavelmente sabiam onde e como confirmar oficialmente os dados que forneci.

Portanto use uma das lições que aprendeu com a sua mãe: não minta. ✌


9) Documentos que levei para entrevista no Consulado


Apesar do cônsul não ter pedido nenhum documento ou comprovante, nós levamos tudo que pudesse comprovar nosso vínculo com o Brasil e também a nossa capacidade de custear uma viagem aos EUA.

Ao chegarmos no consulado vimos uma moça tristonha que tinha tido o visto negado e ela estava falando a seguinte frase: “se eu tivesse trazido o passaporte antigo isso não teria acontecido”. Imagino que o cônsul tenha pedido o passaporte antigo para comprovar algo.

É importante lembrar que caberá ao cônsul decidir ou não se te pedirá documentos para comprovar algo, durante a entrevista. Não podemos ter como regra que "ele vai pedir" ou que "ah, pra todos os meus amigos nunca pediram nenhum documento".

Se eles pedem para levar, é melhor levar tudo quanto é documento que conseguir.

Melhor sobrar do que faltar”, por isso levamos:


  • Passaporte antigo 
  • Certidão de casamento
  • Contrato de aluguel
  • Holerites dos últimos 3 meses
  • Comprovantes de declaração do imposto de renda
  • Comprovantes de movimentação da conta bancária e poupança dos últimos 3 meses
  • Contas nos nossos nomes nos últimos 3 meses (gás / telefone e tv)
  • Página do Diário Oficial com minha nomeação no trabalho
  • Certidão de conclusão da Faculdade
  • Registro de profissão no Ministério do Trabalho
  • Certidão de quitação eleitoral
  • Carteira de trabalho

10) Entrega do passaporte (com o visto) em casa


No papel que recebemos quando o visto foi aprovado, dizia que receberíamos os nossos passaportes num prazo de 10 dias úteis, através da modalidade de retirada que havíamos escolhido quando agendamos a entrevista. Escolhemos Correios para recebermos em casa.

Na sexta, dia 25/08 fizemos a entrevista, na terça 29/08 o Consulado enviou um e-mail dizendo que enviaram os passaportes e com o código de rastreio. No dia 30/08 o passaporte foi entregue em casa, com o visto válido até 2027 (dez anos).

Considerações finais: 

Agendei no dia 20 de agosto, fui ao CASV dia 22, na entrevista no dia 25 e recebi meu passaporte com visto no dia 30/08. Não foi um processo demorado ou complicado, e nem tão amedrontador como eu fantasiei por muito tempo.

Organize seu tempo e seus documentos, não minta, não aumente informações sobre você. Só responda objetivamente o que te perguntaram, exatamente como fez no formulário.

Nada como entrar com pé direito no consulado...

06 setembro 2017
Ano passado eu decidi que ia fazer a tão sonhada viagem para a Disney, em Orlando! Comecei a organizar minhas finanças e montar um cronograma de todas as coisas que eu precisaria planejar/arrumar durante 2017 para essa viagem acontecer.



O cronograma de 2017 ficou mais ou menos assim:

Janeiro a abril = cronograma do casamento
Maio a junho = atualização dos meus dados/documentos
Julho = novo passaporte
Agosto = visto americano
Setembro a Outubro = passagens, hotel, ingressos etc
Novembro a Dezembro = bastante tempo para resolver qualquer contratempo (bate na madeira 3x)

Em abril de 2017 eu casei e alterei o sobrenome (dica de amiga, não façam isso), logo precisei atualizar o nome em tooodos os documentos, cartões, bancos. Para *atualizar o passaporte eu precisava estar com todos os documentos já atualizados, por isso ele ficou por último.

O meu passaporte venceria em julho de 2018 e minha viagem está planejada para janeiro do mesmo ano. Legalmente eu poderia viajar com esse passaporte - levando a certidão de casamento junto - porque os Estados Unidos não exigem validade mínima para viajar.

Porém, já que eu ainda daria entrada no visto americano, achei melhor já estar com um passaporte atualizado e válido por mais 10 anos. Não acho que faria sentido ficar viajando com 2 passaportes nos próximos anos, no meu caso.

*Observação importante: NÃO EXISTE renovação do passaporte. A segunda via do passaporte é um novo passaporte, com número diferente. Precisa levar toda documentação de novo.

*Observação mais importante porque dói no bolso: Se você tem um passaporte válido no momento que vai requerer um novo, você DEVE apresentá-lo no dia que comparecer à Polícia Federal. Caso contrário você pagará a chamada taxa majorada de R$514,54.

Lei de Murphy


Depois de atualizar todos os documentos, paguei a taxa de R$ 257,25 e fui agendar o novo passaporte e coincidiu justamente com o período que a Polícia Federal suspendeu temporariamente a emissão (no caso a entrega) do documento por falta de verba. O processo todo continuava funcionando, somente o prazo de entrega foi alterado (que era de 6 dias úteis normalmente).

Meu passaporte válido foi cancelado, e ao contrário do que li por aí, me devolveram com as páginas carimbadas. Nessa altura eu já estava orando pra PF não entrar em greve porque eu precisava comprar as passagens com alguma antecedência e só as compraria depois do visto americano.

Além do mais, antes eu conseguiria viajar com o passaporte antigo se desse algum problema, mas com ele cancelado eu estava fritinha da silva.

Por fim, meu passaporte ficou pronto em 20 dias corridos (cerca de 14 dias úteis), no dia 14 de agosto. Não chegou a ser um problema no cronograma, nada desesperador, já que o processo do visto foi bem rápido (vou escrever sobre isso em outro post).

Um resumo rápido baseado nas minhas experiências


  • Mesmo que você já tenha ou teve um passaporte, você irá emitir um novo passaporte, fazer todo o mesmo processo novamente, levar todos os documentos exigidos.

  • Se você casou e assim como eu fez a burrada de alterar o sobrenome, é melhor providenciar a atualização dos seus dados em todos os documentos primeiro. Precisa levar a certidão de casamento original, mesmo que seu RG, título, CPF etc já conste o nome de casado.

  • A certidão de casamento PRECISA ser o documento original. Não aceitam cópia nem mesmo autenticada. Há um aviso sobre isso colado na porta, não abrem exceção.

  • Se você se divorciou alguma vez na sua vida, ainda que já tenha voltado para o seu sobrenome original, com novos documentos atualizados, tem que levar averbação do divórcio original. E tem que levar em todas as vezes que você for tirar um novo passaporte (presenciei isso com colega de trabalho que não levou a averbação por já tê-la levado 5 anos atrás quando fez o outro passaporte).


  • Não precisa chegar com duas horas de antecedência porque realmente chamam no horário agendado (são várias pessoas pro mesmo horário, mas é tudo muito rápido).

  • A fotografia (que a gente sai com cara de bunda) é tirada lá. Na segunda via não colhem suas digitais, apenas confirmam com seu polegar.

Passos para retirar um novo passaporte (com os links)


  • No site da Polícia Federal, você vai em “requerer passaporte”, não existe diferença entre primeira ou segunda via nos processos. Então você vai precisar: 



  • Pagar o boleto do GRU que será gerado no fim da solicitação;



No dia de comparecer ao local agendado


  • Leve os documentos originais + comprovante de agendamento + boleto e comprovante de pagamento do GRU (leia bem, boleto + o comprovante do pagamento do boleto). 


Quando no status no site mostrar que o documento foi emitido, você ainda deverá esperar um e-mail que vai te dizer a partir de qual dia seu passaporte estará disponível no posto para retirar.

No dia de retirar o passaporte, leve um documento de identidade original. Vão te pedir para conferir os dados impressos, confirmar com sua digital e assinar o documento.

Que lição podemos tirar com isso, amiguinhos? 


Não deixe essas coisas de documentação para última hora. Ouvi pessoas dizendo que "3 meses de antecedência é o suficiente". As pessoas não contam com os imprevistos. O meu caso foi rápido, mas poderia não ter sido, né?

Contem com o cronograma organizado, não com a sorte. (nas horas vagas sou filósofa de chuveiro)

Em um próximo post vou contar como foi o processo do meu primeiro visto americano.

Quem sou eu?

Prazer, Marcelle.

Olá, eu sou a Marcelle. Carioca, jornalista, casada e mãe de três gatinhos vira-latas adotados. Leitora e fã do combo sofá + TV (ou poltrona e telão). Moro em São Paulo, sinto frio aos 23ºC e trabalho com produto digital.

Aqui é um lugar para meus textões mesmo #peace

Minhas redes sociais

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *